sábado, 4 de maio de 2013

Cannes Classics 2013



Pelo nono ano consecutivo, o Festival de Cannes acolhe e exibe os trabalhos de restauro cinematográfico mais recentes na secção Cannes Classics.

Na presente edição, serão projectadas vinte e uma obras, entre clássicos e laureados com a Palma de Ouro, ficando assim revelado o acrescido interesse dos principais festivais de cinema em homenagear o trabalho de fundo efectuado por cinematecas, empresas de produção e arquivos nacionais de todo o mundo.

Da programação do Cannes Classics 2013, destacam-se:

  • CLEÓPATRA (1963), de Joseph L. Mankiewicz: restauro digital pela 20th Century Fox;
  • VENCEDORES E VENCIDOS (1973), de Youri Ozerov, Milos Forman, Mai Zetterling, Claude Lelouch, Arhur Penn, Michael Pfleghar, John Schlesinger e Kon Ichikawa: restauro digital, a partir do negativo original, pela Warner Bros. Motion Picture Imaging — restauro sonoro a partir das bandas magnéticas originais;
  • A RAINHA MARGOT (1994), de Patrice Chéreau: restauro digital pela Pathé e Eclair Group;
  • CHARULATA (1964), de Satyajit Ray: restauro, a partir do negativo original, pela RDB Entertainments;
  • O GOSTO DO SAKÉ (1962), de Yasujirô Ozu: restauro digital pela Shochiku Co. Ltd., National Film Center e National Museum of Modern Art de Tóquio;
  • LE JOLI MAI (1963), de Chris Marker e Pierre Lhomme: restauros fotoquímico e digital pela Mikros Images, com o apoio do CNC/Arquivos Franceses do Filme;
  • DESERTO DOS TÁRTAROS (1976), de Valerio Zurlini: restauro digital pela CNC;
  • ENCONTRO COM A SORTE (1974), de Ted Kotcheff: restauro digital, e com limpeza imagem a imagem, pela Technicolor Creative Services Toronto;
  • OS CHAPÉUS DE CHUVA DE CHERBURGO (1964), de Jacques Demy: restauro digital pela Ciné Tamaris;
  • HIROSHIMA MEU AMOR (1959), de Alain Resnais: restauro digital, a partir do negativo original, pela Fondation Groupama Gan e Cineteca di Bologna;
  • O ÚLTIMO DEVER (1973), de Hal Ashby: restauro digital pela Sony Pictures;
  • O ÚLTIMO IMPERADOR 3D (1987), de Bernardo Bertolucci: restauro digital pela ecorded Picture Company e Repremiere Group — reconversão em 3D pela Prime Focus;
  • A BELA E O MONSTRO (1946), de Jean Cocteau: restauro digital pelo SNC / Grupo M6 e Cinemateca Francesa;

O alinhamento completo do Cannes Classics 2013 pode ser consultado na página oficial do Festival.

0 comentários:

Enviar um comentário