sexta-feira, 20 de setembro de 2019

O Arquivo do Dia #315 — A Ficção-Científica Segundo Isaac Asimov



Sentado em frente à sua máquina de escrever, em pleno processo de escrita — uma visão genuinamente rara, no que a imagens em movimento se refere —, olhos fixos no espectador enquanto as suas palavras são captadas no belíssimo formato da película de 16mm, Isaac Asimov traça a sua opinião e o seu conhecimento sobre a história da ficção-científica, enquanto género literário e cinematográfico, ao longo do Século XX.

A HISTORY OF SCIENCE FICTION FROM 1938, curta-metragem documental produzida em mil novecentos e setenta e um para a Universidade do Kansas, e como o título indica, apresenta-nos o autor da saga "A Fundação" e de "I, Robot" a discorrer, numa meia hora deveras enciclopédica, sobre os momentos (as pulp magazines, o surgimento da literatura de Robert A. Heinlein ou Ray Bradbury, os filmes de série B dos anos cinquenta, a chegada do Homem à Lua como o pináculo de toda a ficção concebida até à época) que, na sua opinião, marcaram o género da ficção-científica.



[Fontes: Universidade do Kansas / mrnobodysprincess].
[Imagem: Gizmodo].

quinta-feira, 19 de setembro de 2019

O Arquivo do Dia #314 — 'Twiggy, remember: you’re making your own look'



Nascida a dezanove de Setembro de mil novecentos e quarenta e nove, e conhecida internacionalmente pela alcunha de Twiggy, a modelo, actriz e cantora britânica Lesley Hornby é um dos ícones de moda mais perenes que a década de sessenta originou. De compleição franzina e rosto quase andrógino, onde rapidamente se destaca a imensa expressividade dos seus olhos, Twiggy revelou-se ao mundo como um dos principais nomes da Swinging London: em sessenta e seis, foi eleita a "Mulher Britânica do Ano" pelo jornal Daily Express, protagonizou capas de publicações como a Vogue ou a Tatler, e a New Yorker chegou a dedicar cem páginas à sua popularidade. A fama conceder-lhe-ia, em pouco tempo, experiências no Cinema (por exemplo, no musical THE BOY FRIEND, realizado por Ken Russell) e na Música (o seu álbum de estreia, Twiggy, vendeu mais de sessenta mil cópias).

No dia em que celebra setenta primaveras — e um estatuto iconográfico intocável —, o Arquivo de hoje recorda a sua primeira aparição televisiva. Um "retrato da modelo enquanto jovem", realizado por John Crome para o programa A Whole Scene Going, que descortina, a partir da opinião de fotógrafos e estilistas ("the fashion world has been looking for a new face for about four years now, and Twiggy is that face"), os prognósticos de popularidade que então se desenhavam para Twiggy.



[Fontes: British Broadcasting Corporation (BBC) / Cesare Vesdani].
[Imagem: Hulton Deutsch / Getty Images / HuffPost Life].

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

O Arquivo do Dia #313 — 'Black' Cinema



A propósito da exibição HORROR NOIRE: A HISTORY OF BLACK HORROR, durante a mais recente edição do MotelX, o Arquivo de hoje salienta uma anterior experiência documental que, de forma sumária mas abrangente, também evoca o percurso de actores, personagens e indivíduos negros ao longo da história do Cinema Americano. PASSION AND MEMORY, produzido para televisão em mil novecentos e oitenta e seis, releva cinco personalidades que, entre limitações de typecasting e latentes tensões raciais em Hollywood, desempenharam um papel fundamental na evolução do intérprete afro-americano.

Durante uma hora, com narração do actor Robert Guillame, são destacadas as carreiras de Stepin' Fetchit, Hattie McDaniel, Bill Robinson, Dorothy Dandridge e Sidney Poitier, enquanto principais responsáveis para o estabelecimento de direitos e iguais oportunidades de trabalho. E, de um ponto de vista estritamente arquivístico, PASSION AND MEMORY distingue-se, igualmente, por um conjunto de testemunhos filmados — desde os próprios homenageados do documentário a colegas actores, críticos de cinema e historiadores — que oferece uma percepção, sóbria e minuciosa, sobre décadas de segregação e preconceitos na Sétima Arte.



[Fontes: Public Broadcasting Service (PBS) / reelblack].
[Imagem: Selznick International Pictures / Metro-Goldwyn-Mayer].

terça-feira, 17 de setembro de 2019

O Arquivo do Dia #312 — Wall Street e o 11 de Setembro



A dezassete de Setembro de dois mil e um, a Bolsa de Valores de Nova Iorque (o New York Stock Exchange, ou NYSE) retoma a sua actividade financeira, seis dias após os ataques do 11 de Setembro. Para além da paralisação dos mercados e de perdas recorde para investidores, os atentados destruíram o sistema de telecomunicações de Wall Street, revelaram as fragilidades dos procedimentos de segurança do NYSE e transformaram substancialmente o traço arquitectónico, desenvolvido desde os anos setenta, daquela zona. No momento da sua reabertura, membros da polícia e dos bombeiros de Nova Iorque tiveram a honra de premir o botão do "opening bell" num dia em que, nas palavras de William R. Johnston, o Presidente do NYSE, "America goes back to business."

Nessa relação entre Wall Street e o 11 de Setembro, importa realçar a cobertura noticiosa dos atentados pela CNBC, um dos principais canais de televisão norte-americanos dedicados a actualidade financeira. Paralelamente à transmissão das imagens que permaneceram no nosso imaginário colectivo, assim como da estupefacção dos jornalistas à medida que as primeiras conclusões do acontecimento se formavam, esta emissão da CNBC (abaixo partilhada em três partes) distingue-se por exibir as raras imagens da evacuação do NYSE, a ironia de o valor das acções da Boeing ser um dos tópicos de discussão e, objectivamente, um pivô de notícias que, naquela manhã, salientou o realmente fundamental: "Don’t concern yourself with the money, when you’re looking at the damages."







[Fontes: CNBC / CNBC 911].
[Imagem: Reuters / Reuters Connect].

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

O Arquivo do Dia #311 — Roberto Leal (1951 - 2019)



Natural de Macedo de Cavaleiros mas radicado em São Paulo desde os onze anos de idade, Roberto Leal apresentou-se sempre como um "embaixador da cultura portuguesa" no Brasil, nomeadamente ao longo da década de setenta, quando obteve considerável sucesso popular por temas como Arrebita, Lisboa Antiga, Carimbó Português — que o Arquivo de hoje abaixo relembra — ou Rock Vira. Em Portugal, foi presença assídua em programas televisivos musicais e de entretenimento, sendo, desse modo, um dos rostos mais estimados no seio da cultura popular do nosso país.

No momento em que se assinala o falecimento de Roberto Leal, senhor de uma carreira desenvolvida ao longo de cinquenta anos e com mais de trinta milhões de discos vendidos (mereceu, inclusive, a produção de um documentário sobre a sua vida, realizado em mil novecentos e setenta e nove, com o título MILAGRE — O PODER DA FÉ), recordamos, portanto, a sua presença no programa "Festival de Sucessos", do canal paulista TV Tupi, em mil novecentos e setenta e sete, numa interpretação de Carimbó Português reveladora das origens e influências que Roberto Leal foi beber, constantemente, à música de cariz popular portuguesa.



[Fontes: Rede Tupi de Televisão / Videoteca do Jota].
[Imagem: RGE Discos].

sábado, 14 de setembro de 2019

O Arquivo do Dia #310 — No Aniversário de Steve Gaines



Nascido a catorze de Setembro de mil novecentos e quarenta e nove, na pequena cidade de Seneca, no Missouri, Steve Gaines foi o mítico guitarrista do primeiro alinhamento dos Lynyrd Skynyrd, o influente grupo que popularizou o Southern rock como género musical durante as décadas de sessenta e setenta. O êxito da carreira de Gaines foi tragicamente interrompido em Outubro de mil novecentos e setenta e sete, quando o avião que transportava a banda despenhou-se no Mississippi; Steve Gaines contava, apenas, vinte e oito anos.

Da discografia dos Lynyrd Skynyrd, Sweet Home Alabama tornou-se em tema universalmente reconhecido. Para além de um significativo registo de vendas, a revista Rolling Stone incluiu-o na sua lista das melhores canções de todos os tempos e conheceu, no filme de acção CON AIR, uma peculiar referência humorística. Contudo, o poder musical de Steve Gaines ficou perfeitamente registado nesta interpretação de You Got That Right, filmada no Convention Hall, em New Jersey, poucos meses antes do acidente fatal da banda. Envergando uma t-shirt branca, Gaines toma o palco "de assalto", num virtuoso solo de guitarra que domina os minutos derradeiros da actuação.



[Fontes: Music Vault / Lynyrd Skynyrd].
[Imagem: Getty Images / Society of Rock].

sexta-feira, 13 de setembro de 2019

O Arquivo do Dia #309 — Sexta-Feira Treze



Popularmente encarado como um dia de má sorte, o conceito "azarado" da Sexta-Feira Treze reveste-se de diferentes explicações. Desde a numerologia — por ser o número a seguir ao doze, considerado como o de algo completo ou regular (os doze meses do ano ou os doze apóstolos de Jesus) —, passando por teorias de conotação religiosa — Jesus terá sido crucificado numa sexta-feira, dia treze — e até históricas — a Ordem dos Templários foi condenada por traição, pelo Papa Clemente V, a treze de Outubro de mil trezentos e sete —, esta multiplicação de possíveis origens continua a não definir consensos sobre a má reputação deste dia.

Neste dia treze de Setembro, sexta-feira, o Arquivo resgata um pequeno conjunto de filmes publicitários dedicados à saga de terror FRIDAY THE 13TH; possivelmente, a ligação mais cinéfila que o dia alguma vez adquiriu ("You may only see it once, but that will be enough!"). Em concreto, dois anúncios televisivos, relativos ao primeiro e quarto filmes da saga, e o spot promocional de uma colecção, editada em VHS, com todos os sete títulos estreados até meados da década de noventa.

FRIDAY THE 13TH VHS Promo


Spot televisivo de FRIDAY THE 13TH (1980)


Spot televisivo de FRIDAY THE 13TH: THE FINAL CHAPTER (1984)


[Fontes: Warner Bros. / Georgetown Productions Inc. / Sean S. Cunningham Films / Friday The 13th Network / Fixxxer07082 / Retrontario].
[Imagem: Georgetown Productions Inc. / Sean S. Cunningham Films].

quinta-feira, 12 de setembro de 2019

O Arquivo do Dia #308 — BONANZA



A doze de Setembro de mil novecentos e cinquenta e nove, a NBC transmite o primeiro episódio da série BONANZA, naquele que se tornou o momento seminal de um western televisivo cuja popularidade perdurou até aos nossos dias. Filmado a cores desde o seu início, e ao longo de catorze temporadas exibidas até meados da década de setenta, BONANZA acompanhava as aventuras da família Cartwright, dirigida pelo "patriarca" Ben (Lorne Greene) com os seus três filhos (interpretados por Pernell Roberts, Dan Blocker e Michael Landon), ao mesmo tempo que, com sensibilidade e um humanismo muito inusitados para a sua época, abordava temas como o racismo, o anti-semitismo ou preconceitos de ordem social.

No primeiro episódio de BONANZA, intitulado 'A Rose for Lotta', visitamos pela primeira vez o Racho Ponderosa (local que serviria de inspiração para um parque temático, aberto ao público até dois mil e quatro) e, acima de tudo, o famoso tema do genérico da série composto por Jay Livingston e Ray Evans. Por entre um dinâmico argumento que versa sobre o rapto do irmão mais novo dos Cartwright, permanece a curiosidade de observamos, no elenco, as participações especiais de Yvonne De Carlo, eleita "Rainha do Technicolor" nos anos cinquenta, e George Macready, celebrizado pelo seu papel do general francês Paul Mireau em PATHS OF GLORY, de Stanley Kubrick.



[Fontes: National Broadcasting Company (NBC) / Rosi Medi].
[Imagem: National Broadcasting Company (NBC) / Logopedia].

quarta-feira, 11 de setembro de 2019

O Arquivo do Dia #307 — Antero de Quental, o "Santo Vivo"



A onze de Setembro de mil oitocentos e noventa e um, o escritor e poeta Antero de Quental, uma das principais figuras da literatura portuguesa do Século XIX e eminente crítico das realidades sociais e económicas daquela época, põe termo à vida, na sua Ponta Delgada natal, com dois tiros, num banco de jardim junto ao Convento de Nossa Senhora da Esperança. Resultado de uma depressão profunda — condicionada, provavelmente, pelo distúrbio bipolar de que padecia — e de um pessimismo causado pelo sentimento de incapacidade em transformar a sociedade que o rodeava, o suicídio de Antero de Quental será o aspecto mais citado da biografia do autor de 'Odes Modernas' e 'Causas da decadência dos povos peninsulares'.

Dos arquivos da RTP, recuperamos hoje o documentário Literatura Portuguesa: Moderna e Contemporânea, programa supervisionado pelo professor catedrático Carlos Reis, onde se destaca a personalidade literária de Antero de Quental, com ênfase nas diversas etapas — da poesia militante ao pendor metafísico que adoptou durante os derradeiros anos de vida — da sua obra, no espírito das Conferências do Casino, nos seus ideais político-sociais e na elevação do vigor intelectual do homem que Eça de Queirós apelidou de "Santo Vivo".



[Fontes: Arquivos RTP / João Reininho].
[Imagem: José Pacheco Toste - Photographia Central - Foto Toste / Instituto Cultural de Ponta Delgada - Colecção Fotográfica Digital: PT/ICPD/CFP].

sexta-feira, 6 de setembro de 2019

O Arquivo do Dia #306 — Encontros Imediatos do Terceiro Grau



A busca pela prova, científica e irrefutável, da existência de vida extraterrestre tem sido, ao longo de vários séculos, uma fonte de inspiração e motivação para a Humanidade. Nos últimos cem anos, o fenómeno dos OVNI, os relatos do avistamento de estranhas luzes no céu ou o eco na comunicação social das histórias de quem afirma ter contactado indivíduos de outros mundos, alimentaram não só a imaginação do comum cidadão, como também de escritores, cineastas, argumentistas e compositores musicais, numa dinâmica que se saldou pela abundante produção de material criativo envolvente e popular, intrigante ou arrebatador na sua essência e, muitas das vezes, extremamente lucrativo.

A conjugação destas realidades foi analisada, em mil novecentos e setenta e sete, no documentário UFOs ARE HERE!. Realizado por Guy Baskin para o canal de televisão australiano Channel 9, o filme apresenta, em pouco menos de hora e meia, as diversas opiniões sobre o tema de nomes como Steven Spielberg, Jacques Vallée e J. Allen Hynek, elabora sobre teorias de conspiração e encobrimento da verdade por forças governamentais e, de um modo quase sensacionalista, entrevista Kenneth Arnold e Betty Hill, duas famosas "testemunhas" que viveram um encontro imediato do terceiro grau.



[Fontes: Channel 9 / weirdlectures].
[Imagem: Bettmann / Corbis / The New York Times].